é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Sobe e Desce

Publicada em 17 de fevereiro de 2019 às 20h26

Sobe e Desce: o que ficou em alta e em baixa no Bahia na semana

Confira quais atletas e ações se destacaram na semana do Bahia

Da Redação

A semana do Bahia foi marcada mais uma vez por jogos válidos por competições distintas nos quais foram utilizados jogadores diferentes – sendo uma partida pela Copa do Brasil e uma pelo Baiano – e pelo início das comemorações da maior conquista de um clube nordestino.

Como é costume em cada domingo de 2019, o ecbahia.com analisa quais jogadores ou ações se destacaram de maneira positiva ou negativa no Esquadrão nos últimos sete dias, com o editorial ‘Sobe e Desce’.

Sobe: Comemorações aos 30 anos do bicampeonato e Gilberto artilheiro

Último troféu de Campeonato Brasileiro conquistado por um clube nordestino, a conquista de 1988 está sendo celebrada com diversas ações promovidas pelo Bahia em parceria com a Associação dos Campeões de 88 (ACB 88).

Com a presença de quase todos os envolvidos na conquista (a única ausência é de Sidimar, que não pôde comparecer), diversas ações têm sido promovidas em contato direto a torcida com os heróis de 88, com um trio puxado da Ondina até a Barra sendo a principal ação.

O título e os ídolos de 88 jamais serão esquecidos e a conquista deve ser comemorada, e muito, por cada tricolor, mesmo 30 anos depois.

Dentro de campo, o ponto mais alto do Bahia na semana foi mais uma vez o faro de artilheiro do centroavante Gilberto. Vivendo uma fase iluminada, o camisa 9 foi decisivo ao marcar dois gols que garantiram a classificação tricolor na Copa do Brasil. Ele tem oito gols em sete jogos e só não marcou em duas partidas neste ano.

Menção honrosa ao desempenho de Nilton. Citado como destaque na semana passada, o experiente volante teve mais uma atuação positiva neste domingo.

Desce: Número de gols sofridos

O ponto mais baixo do Esquadrão, não só nesta semana, mas em toda a temporada, é certamente a defesa. Em 11 jogos disputados, o Tricolor sofreu pelo menos um gol em nove partidas.

Contra o Rio Branco, novas falhas de posicionamento da dupla de zaga titular foram determinantes para o time sofrer dois gols no Acre e deixar de vencer um jogo que parecia tranquilo. Já contra o Conquista, mais uma vez a equipe saiu com uma bola na rede.

Ao todo, são 11 gols sofridos em 11 jogos na temporada, média de um por partida.

Há bastante trabalho a ser feito para corrigir o setor defensivo visando as próximas partidas decisivas que se aproximam.

Concorda? Discorda? Deixe seu comentário.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.