é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 20 de julho de 2019 às 19h57

Roger vê ‘saldo positivo’ em empate e elogia atuação no 2º tempo

Treinador destaca crescimento do time na segunda etapa como ponto positivo em empate sem gols

Victor de Freitas

2019-07-16-19-04_caparogermachado52
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Bahia não saiu do 0 a 0 com o Cruzeiro, atuando na Arena Fonte Nova, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a partida, o técnico Roger Machado concedeu entrevista coletiva e fez sua análise sobre a partida desta noite de sábado.

Em sua avaliação, Roger Machado viu um primeiro tempo truncado, porém sem domínio para nenhum dos lados. Após a expulsão antes do intervalo, a equipe voltou com um gás renovado para a segunda etapa, por conta de mudanças propostas pelo treinador.

Por conta do crescimento da equipe mesmo com um atleta a menos em campo, Roger citou ter visto a atuação da equipe no segundo tempo como o saldo positivo da partida.

"Não vi um primeiro tempo fraco. Vi um primeiro tempo trancado porque o Cruzeiro fechava muito bem os espaços, e a gente não circulava a bola com velocidade nem tampouco conseguia chegar com lucidez perto do gol do Cruzeiro... Não ter conseguido encontrar os espaços eu concordo contigo. A partir da expulsão, num lance que falei com Arthur Caíke de um misto de imprudência com rigor excessivo, a partir desse momento, o Cruzeiro talvez tenha imaginado que teria um pouco mais de espaço, e a gente conseguiu se superar. As jogadas começaram a aparecer porque o Cruzeiro abriu mais seu campo e nos permitiu espaço. Continuou no segundo tempo. O que tinha todos os elementos para se transformar numa tragédia, acabou saindo com saldo positivo”, disse o treinador.

“Esse jogo era bastante especial porque todos gostariam de ver como reagiríamos após a perda da classificação na Copa do Brasil. Mesmo não vencendo, a gente conseguiu resgatar a confiança no jogo. Isso foi muito importante. Foi um segundo tempo gigante, mesmo com um jogador a menos", acrescentou.

Expulsão de Arthur Caíke

“Falei para o Arthur, ele muito sentido, muito triste, muito chateado, pediu a palavra para falar no vestiário. O que salientei foi que houve a imprudência, se expôs a um lance interpretativo. Mas do meu ponto de vista foi uma rigidez excessiva. Mas faz parte do jogo, ainda mais em momentos pós-eliminação. É um jogo tenso, nervoso, que o torcedor bem para ver como vamos nos comportar em campo. Não deveria ter acontecido, mas faz parte. Não posso condenar meu atleta em função disso".

Sequência de jogos sem vencer

"A gente está sempre preocupado com os insucessos. Sempre há oportunidade para evoluir em algum aspecto. Luz está sempre acesa. Com empate conseguimos ganhar uma posição. Preciso deixar registro para meu torcedor, que é nosso combustível. A partir do momento que a gente entregou dentro de campo o que queria, ele veio conosco".

O próximo jogo do Esquadrão será disputado no domingo (28), contra a Chapecoense, às 11h, na Arena Condá.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.