é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 14 de abril de 2019 às 19h49

Roger vê dois tempos distintos em empate do Bahia e elogia Rogério

"A gente finalizou cinco vezes no primeiro tempo e criou outras 14 oportunidades no segundo", avalia o treinador

Victor de Freitas

2019-04-14-19-36_caparogermachado15
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

O início de trajetória de Roger Machado sob o comando do Bahia está sendo repleto de emoções, com gols nos acréscimos das partidas. Após o empate em 1 a 1 com o Tremendão, o treinador tricolor falou sobre o desempenho de seus jogadores em mais um jogo.

Em sua análise sobre o primeiro tempo disputado no Joia da Princesa, Roger admitiu ter visto mais erros do que ele gostaria de ter visto e, por isso, a equipe cedeu a chance para o gol do adversário.

“Tem que ter o coração forte para trabalhar no Bahia, mas ao mesmo tempo a gente sabe que o torcedor acredita até o final, que o gol sairá. De modo geral, conseguimos um empate fora, e isso é bom. No primeiro tempo, nós erramos mais que o normal, e o adversário teve muitos contra-ataques. O gol foi exatamente dessa forma. Fernandão não dominou bem uma bola no ataque, a bola retornou e, na individualidade dos jogadores deles, conseguiram abrir o placar”, avaliou.

Já sobre o segundo tempo, Roger afirmou ter ficado satisfeito com o nível de intensidade demonstrado pelo time e pelas entradas de atletas que estavam no banco de reservas.

“Hoje a gente finalizou cinco vezes no primeiro tempo e criou outras 14 oportunidades no segundo. Por você ter dois artilheiros em campo, a defesa se preocupa mais. No primeiro tempo foi fechado, com o adversário cheio de energia. Nos criou dificuldades. É trabalhar e ajustar. No segundo tempo, tirei o Fernandão por conta de desgaste, e agora é descansar. Temos Copa do Brasil e decisão logo mais. Na segunda etapa, com as modificações, entradas de Gilberto, Shaylon e Rogério, a partida abriu. Fizemos o nosso gol num belo chute do Rogério, que está de parabéns. Tem trabalhado forte. O atleta passa por momentos que não são bons, mas vivemos um novo momento. Ele entrou bem e fez o gol que nos deu o empate. O 1 a 1 nos dá condições de sermos campeões”, disse o técnico.

Mais elogios a Rogério

“Quando a gente está jogando, a gente está feliz. Eu fui atleta durante 20 anos. A gente sabe. Quando a gente não está jogando, a gente tem a consciência de que a gente poderia ter oferecido mais. O Rogério em nenhum momento esmoreceu. Essa semana, dez dias que eu estou no clube, treinando muito forte. Logo no início, acho que foi o primeiro atleta com quem conversei. Eu salientava que sabia o que estava ocorrendo, que ele, em alguns jogos, tinha entrado, e a impaciência do torcedor, a cobrança pelo rendimento maior, muitas vezes estava prejudicando seu rendimento. Mas que, a partir daquele momento, com chegada do novo treinador, eu tinha que ter a confiança de poder colocar ele em campo, independentemente de como o torcedor ia reagir a essa situação. Porque ele sempre se demonstrou confiante. Hoje, antes do jogo, eu pedi: “Meu filho, presta atenção a tudo que estiver acontecendo dentro do campo, tu sabe o que eu quero que os atacantes façam, pode ser um dia especial para ti”. E realmente foi”.

Análise sobre o Bahia de Feira

“O grupo está extremamente motivado e mobilizado. Desde a minha chegada, sempre deu para perceber que esse grupo é bom de trabalho. No primeiro momento, é descansar. Foi um jogo muito forte. O adversário valorizou muito esse empate que a gente conquistou fora de casa. Chegou por mérito nessa decisão de campeonato, com um time forte nos enfrentamentos individuais, um time que é hábil com a bola nos pés, que tem vitória pessoal do meio para frente, muito bem treinado, muito bem organizado, com intensidade muito forte. Jogando em casa, a gente tem que igualar essa intensidade, continuar fazendo um jogo forte que a gente fez”.

VAR

“Ontem tivemos a palestra do Serapião e o Jaílson. O VAR veio para nos ajudar e corrigir incoerências. Com adaptações, com intervenções mais rápidas. O fato de o bandeira esperar a sinalização, não aqueles que eles têm certeza, gerou dúvidas na minha linha defensiva. Isso faz com que minha defesa não avance a linha, porque os impedimentos, a espera para sinalizar, geram dúvida na hora de sair. Mas é um grande acréscimo para o árbitro e torna as disputas justas”.

O Bahia volta a campo na quinta-feira (18), contra o Londrina, pela primeira partida da quarta fase da Copa do Brasil. No domingo (21), o adversário será o Bahia de Feira, para decidir o título estadual. Os dois jogos acontecerão na Arena Fonte Nova.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.