é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 12 de abril de 2019 às 17h33

Roger admite ansiedade para final em segundo jogo pelo Bahia

'No dia que o profissional não tiver o friozinho na barriga e a ansiedade antes do jogo decisivo, pode parar', diz o técnico

Victor de Freitas

2019-04-12-17-23_caparogermachado13
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

Roger Machado estreou com triunfo pelo Esquadrão de Aço, em uma partida decisiva pela terceira fase da Copa do Brasil. Neste final de semana, o técnico fará seu segundo jogo no comando tricolor e já terá sua primeira final de campeonato.

Garantido nas finais do Baiano com a melhor campanha geral, o Bahia fará o primeiro jogo sob mando de campo do adversário. Roger admitiu ansiedade para iniciar a decisão pelo troféu de campeão baiano e avaliou o que espera do Tremendão.

"No dia que o profissional do campo não tiver o friozinho na barriga e a ansiedade antes do jogo decisivo, pode parar. Porque perdeu o entusiasmo pela profissão e tudo que envolve os jogos finais de campeonato. Minha ansiedade é controlada pela experiência de mais de 25 anos no esporte. Os atletas sabem que quando entram em campo para fazer o que de melhor sabem, a ansiedade é controlada por saber o que se vai fazer em campo. Mas não tenha dúvida, são momentos que antecedem os jogos que são de muita expectativa", falou o técnico.

O que espera do Bahia de Feira?

Quanto ao duelo deste domingo, Roger Machado disse ter visto alguns jogos do Bahia de Feira para estudar o adversário e afirmou esperar por jogos difíceis.

“Se nosso adversário chegou nesse momento decisivo da competição, é porque tem muito mérito. Temos o dever de estar com tudo pronto e preparados para uma grande disputa. Tivemos a oportunidade de ver os jogos, passar informações para os atletas, vamos treinar em cima da característica do adversário. E não podemos esquecer que fomos derrotados dentro de casa pelo nosso adversário na primeira fase. Temos a convicção de que será uma disputa dura e que o melhor vai vencer. A gente espera trabalhar bem para que o título fique na nossa casa”, disse.

“Vi três jogos do Bahia de Feira. Um deles no sintético. Depois no de grama natural também. Belo time, muita intensidade. Tem jogadores fortes e rápidos. O campo é bom. Venta muito. Isso gera uma questão de adaptação a distância do tiro de meta, dependendo do lado a bola mais longe, o passe, para dar mais pressão. Questão de adaptação para estar atento desde o início do jogo. Tenho para mim que será um jogo muito disputado, jogado. Jogo de final de campeonato. Espero que seja um jogo bonito, para as pessoas admirarem e participarem do evento”, acrescentou.

Mística tricolor

“Espero que não (precise). Eu já estou convencido que aqui é assim. O bom disso tudo é que o torcedor espera a vitória até o último momento. Isso é bom. Até o sorteio da Copa do Brasil foi tenso. Imagina a final do Baiano como vai ser”.

Gregore

“O Gregore está em processo final, está conosco, mas está readquirindo ritmo no treino. Vou deixar essa dor de cabeça quando ele estiver apto para mim”.

O Bahia encara o Tremendão às 16h de domingo (14), no estádio Joia da Princesa.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.