é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Brasileiro

Publicada em 20 de maio de 2020 às 16h23

‘Muitos clubes vão sofrer agora e afundar em 2021’, avalia Bellintani

Presidente tricolor diz que 2021 será um ano de ainda mais dívidas para clubes desorganizados financeiramente

Victor de Freitas

2020-05-20-16-10_capabellintani45
Fonte: Reprodução / Metrópole

A paralisação geral do futebol causada pela pandemia de coronavírus causa impacto direto nas finanças dos clubes brasileiros. Sendo assim, Guilherme Bellintani acredita que agremiações que já estavam desorganizadas financeiramente tendem a viver situação ainda pior daqui em diante.

Entrevistado pela Rádio Metrópole FM, Bellintani falou sobre o impacto da quarentena nos cofres do Bahia e dos demais clubes brasileiros. Ele inclui o Esquadrão entre os times que não possuem as maiores receitas do país, mas que possuem um grau de organização suficiente para sair da crise em pé.

“Não tenho a menor dúvida (que pode haver times que quebrem). O futebol brasileiro está muito perto do colapso. Basicamente há três grupos de clubes. Os clubes que tinham um nível financeiro maior, como Palmeiras e Flamengo, estão sofrendo, mas vão sair dessa crise razoavelmente bem. Os clubes de poder financeiro intermediário, com faturamento grande ou faturamento menor, mas com razoável grau de organização, como o Bahia, pretendem sair da crise mal, mas de pé, prontos para uma recuperação pós-crise. Mas tem um terceiro grupo que são os clubes desorganizados ou até organizados, mas muito pequenos, que dificilmente conseguirão retomar uma curva positiva no pós-pandemia”, falou o presidente tricolor.

Com a previsão de déficit para maioria dos clubes brasileiros nesse ano, Bellintani vê 2021 como um ano de recuperação financeira para quem vive situação estável ou de endividamento ainda maior para times desorganizados.

“A gente acredita muito que 2020 é um ano de endividamento, um ano deficitário, e que todo clube vai gerar endividamento. Mas o clube que for muito organizado em suas finanças, dedicado e fizer uma reconstrução de sua estratégia financeira em 2020, consegue usar o ano de 2021 como processo de recuperação financeira”.

Muitos clubes vão sofrer agora e em 2021 vão se afundar de vez. Não vai ter como voltar ao status pré-pandemia”, finalizou.

Como principal medida para diminuir os gastos durante a pandemia, o Bahia chegou a acordo para reduzir 25% de sua

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.