é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | História

Publicada em 14 de dezembro de 2019 às 19h13

Ídolo tricolor, Nonato quer encerrar carreira no Bahia em 2020

Atacante revela sonho de defender o Bahia nos últimos momentos

Victor de Freitas

2019-12-14-18-57_capanonato2019
Fonte: Divulgação

Um dos maiores ídolos da história do Bahia e maior goleador do clube no século XXI, Nonato está próximo de encerrar a carreira. Aos 40 anos, o eterno atacante tricolor tem um último desejo como atleta profissional: jogar pelo Esquadrão antes da aposentadoria.

Nonato foi revelado pelo Bahia no final dos anos 90 e se tornou ídolo nas temporadas seguintes. Ao todo, foram 125 gols marcados, sendo considerado, por muitos, como o maior ídolo tricolor neste século.

“Muitos torcedores falam que tenho que encerrar a carreira no clube. Eu também quero. É o que eu mais quero, o que eu mais desejo. Mas não depende só de mim. Se fosse por mim, já estaria lá (em Salvador), treinando, me condicionando, para encerrar”, falou, em uma transmissão ao vivo no Instagram.

Com um longo currículo como atleta profissional, Nonato defendeu o Bahia, pela última vez, em 2007. Como não poderia deixar de ser, foi decisivo no momento mais difícil da história do clube: no segundo ano na Série C. Ao todo, marcou 19 gols somente naquele ano e ajudou o Tricolor a subir de divisão.

Caso retorne ao clube, o atacante diz que não deseja se tratado como um reforço, mas como um jogador que ama o clube e que deseja terminar a carreira onde iniciou. Para ele, não custa nada para a diretoria.

“Na minha opinião, eu acho que isso não custaria nada para o clube. É lógico que esta não é a prioridade do Bahia no momento. A prioridade é contratar jogadores novos, para fortalecer mais o elenco para 2020. E eu não vou ser um reforço. Vou me preparar para encerrar a minha carreira no Bahia”, falou.

“Não custaria nada eles fazerem isso, até para agradar a torcida. Eu ficaria extremamente realizado, assim como alguns clubes fazem, como o Flamengo fez com o Júlio César e o Juan, e outros que fazem isto com seus ídolos. Então, é minha situação. Quero encerrar minha carreira e depois continuar no futebol. Quero continuar em outra função. Tudo na minha vida eu queria que fosse no Bahia, mas não depende só de mim”.

Sonho de voltar a marcar gol na Fonte Nova

Goleador nos tempos da antiga Fonte Nova, Nonato diz sonhar em balançar as redes da nova Arena e que torcer para conseguir realizar este desejo final em sua carreira.

“Passa toda hora em minha cabeça. Imagino metendo gol na Fonte Nova e indo comemorar com a galera. Quero treinar, me condicionar e ajudar o Bahia. Espero que o sonho possa se realizar”, disse o jogador, ao Correio*.

Atuar com o time de transição

Nonato se coloca à disposição para defender a equipe tricolor no Baianão e diz que poderá ajudar o elenco de transição fora de campo, com sua experiência.

“Seria uma boa, passar um pouco da minha experiência para os mais jovens, sei que o time já está treinando. Vi que o Magno Alves vai jogar o estadual pelo Atlético de Alagoinhas, então acho que eu também seria uma atração, bom pra dar uma alavancada no campeonato, trazer a torcida para os jogos”.

Ainda sem contato com a diretoria

Sobre a atual diretoria tricolor, o atacante diz não conhecer o presidente Bellintani.

“Não conheço o presidente Guilherme Bellintani pessoalmente, mas acompanho a gestão. Sempre que o Bahia vem jogar em Goiânia vou aos treinos. Na última vez fui e falei com Jayme Brandão, que era assessor de imprensa na minha época e agora é gerente de futebol. Tenho amigos no Bahia”.

Sétimo maior artilheiro da história do Esquadrão, Nonato tem apenas três gols a menos do que o sexto colocado do ranking, Marcelo Ramos.

Reta final da carreira

Mesmo na reta derradeira de sua carreira, Nonato não perdeu o faro de goleador e emplacou números importantes.

Nos últimos anos, o atacante atuou com frequência por clubes do futebol de Goiânia, inclusive se destacando na Copa do Brasil de 2018, quando marcou o gol da Aparecidense que eliminou o Botafogo.

Em 2018, foram 24 gols marcados (sendo 15 com a camisa da Aparecidense e mais 9 pelo Goianésia). Em 2019, o centroavante marcou três gols no Goiano.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.