é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Coluna

Esaú Moreira
Publicada em 17/06/2019 às 23h55

Quanto vale Daniel Alves ao Bahia?

Confesso que sou um pouco suspeito para falar sobre o Daniel Alves. Tenho um pouco de paixão “a primeira vista” pelos jogadores brasileiros (claro os que tiveram sucesso), é difícil falar um craque brazuca que eu não goste. E um cara nascido em Juazeiro no meio do nada, que conquistou o espaço dele no meu clube de coração, pra que cenário de ídolo melhor? É fácil ser um dos meus favoritos, o Daniel é fantástico. Não aceito que digam que sou fã dele por que sou novo, por que não vi "fulano de tal", por quê também sou fã dos jogadores do passado e com a minha idade acho muito difícil ter alguém que já viu mais materiais sobre o Pelé e o Garrincha.

Voltando ao Daniel Alves, ele sempre foi grato por tudo que o Bahia deu a ele, queira você aceitar isso ou não, e na época a qual ele jogou aqui, era muito fácil o jogador não gostar do Bahia, raríssimos os que têm essa gratidão ao clube. Quem acompanha o mínimo das mídias sociais dele, sabe o quanto ele se orgulha da terra natal dele (aquele vídeo dele jogando dominó e passeando em campo de barro em Juazeiro, foi bacana demais, confessa aí) abre a boca com gosto para falar que é Nordestino e Brasileiro, sem regionalismo bobo.

É muito fácil perceber o quanto vale um cara do tamanho de um Daniel em um elenco, o que ele representa. Para pra pensar no seu escritório, chegar um cara com Doutorado em Harvard que trabalhou 20 anos na Google e recebeu um reconhecimento absurdo lá, acho que fica fácil ouvir o que esse cara tem pra falar, né? Pois o Daniel Alves é mais ou menos isso ai, e em um ambiente complicado como é o futebol, esse valor se multiplica por 5! Vendo uma entrevista que o Gregore deu ao canal do Bahia, ele fala que ficou encantado dividindo vestiário com Nilton, imagine com o Daniel que além de craque tem um perfil de liderança técnica, intelectual e motivacional que ele tem, seria um acréscimo gigantesco ao clube, tanto que o Tite se aproveitou disso e o deu a faixa de capitão.

Ele tem um grau de amizade com um escritor o qual eu sou fã que é o Raiam do Santos, fazem uma espécie de mentoria em grupo com o objetivo de marcar gerações empreendedoras,  o cara vai muito além daquela estrela de roupas extravagantes. Outra característica marcante dele, é que ele se alinha aquela que parece ser a nova linha de trabalho do clube (pra mim nesse sentido, de maneira acertada) que é o marketing, entendam de uma vez por todas que o marketing é o real dono do mundo.

Ai vai outra informação aos desavisados, o Daniel é o maior campeão da história do futebol, não é Pelé, Messi, Buffon ou Cruyff, é o campeão do Nordestão de 2002 com Evaristo de Macedo e cia. 42 Títulos oficiais, não é brincadeira e ter um cara como esse na história do clube, é sim um privilégio. É fácil compreender que jogadores “triunfosos” (não vou falar aquela palavra não, mesmo que nem exista essa expressão, rs) atraem títulos e um cara determinado e sedento por vencer tenha certeza que não vai querer acabar a carreira de maneira diferente.

Vamos parar de ego e perceber que se ele vier, vai ser uma situação única para todos nós! “Ah mas ele disse que torce para o São Paulo” mermão tu já morou na roça sem poder ir ao estádio, assistindo televisão que só passa os clubes do sudeste e vendo um clube ser campeão de tudo com um líder como o Raí, vai dizer para mim que não era de no mínimo se admirar? Tudo isso que falei sobre ele é pensando em agregar valor ao Bahia, o impacto no clube, que acontecendo dele realmente vir encerrar a carreira aqui só consigo ver benefícios.

 

Outras colunas
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.