é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Coluna

Caio Vasconcelos
Publicada em 19/04/2019 às 01h36

Minha Análise - Bahia 4 x 0 Londrina/PR

Meus Amigos,

 

Nesta Quinta-Feira Santa, em noite de "ressurreição" de Nino Paraíba e do time como um todo, o Bahia destroçou o Londrina, goleando o time paranaense por 4x0, em partida válida pela 4. fase da Copa do Brasil 2019.

 

Jogando de forma ofensiva, com marcação alta, num 442 muito bem definido em campo, o time de Roger Machado fez a melhor partida de 2019. Constante, intenso, com jogadores próximos e com mudanças táticas importantes, o time finalmente deixou o torcedor contente após 90 minutos em 2019.

 

Uma das principais mudanças foi a alteração do esquema tático. Passando do 4231 para um 442, com Ramires pela direita, Gilberto e Arthur Caíque por dentro e Artur pela esquerda, os homens de frente estiveram mais próximos dos meias e tiveram o apoio dos laterais e volantes. Muitas triangulações, além da saída de bola com os zagueiros e com Elton recuado, sem adiantar os laterais, como EM fazia.

 

Além disso, a vontade dos atletas foi algo nítido para os presentes no estádio. Não sei se foi o reflexo da mudança da Comissão Técnica, com a chegada do multicampeão Paulo Paixão, mas ficou nítida a entrega dos jogadores. Deu gosto de ver.

 

Os gols tricolores saíram de jogadas bem elaboradas. Gilberto ganhou de cabeça, Artur, que prendeu menos a bola, achou Arthur Caíque atrás da zaga. Este definiu na saída do goleiro com muita tranquilidade. 1x0.

 

Logo depois, o lance da noite. Nino roubou a bola na defesa, dividiu e driblou com frieza dois marcadores e serviu Gilberto. O camisa 9 recebeu, foi ao fundo e cruzou para o contestado lateral dominar e finalizar como manda o figurino. 2x0 com a torcida em êxtase entoando a música do momento: "Nino Paraíba, nós gostamos de você. Nino Paraíba, faz mais um para a gente ver".

 

O jogo que já estava controlado melhorou após a correta expulsão do atleta do Time do Café. Com isso, a ida ao intervalo foi com cheiro de goleada. 

 

Na volta do intervalo, um lance que merecia ter sido gol. Artur, que poderia ter chutado de direita, tocou para o meio, Ramires deu de letra para Arthur Caíque e o camisa 77 chutou buscando o ângulo. Seria um golaço.

 

O Bahia dominou o segundo tempo de forma muito constante. Trabalhou bem o jogo, rodando a bola com inteligência e cansando o Londrina, que não passava do meio campo. Isso foi interessante, pois muitos esperavam um time afoito para matar a partida.

 

Com 18 minutos, Roger Machado não teve medo de mudar a equipe, acionando Rogério e Fernandão, nos lugares de Arthur Caíque e Gilberto. Com isso, a forma de jogar passou a ser o 4231, com Rogério aberto na direita, Ramires centralizado e Artur na esquerda, com Fernandão entre os zagueiros.

 

Rogério entrou muito bem na partida, não se limitando apenas à ficar aberto na ponta, mas fazendo a infiltração por dentro, abrindo espaços para a passagem de Nino. Numa dessas jogadas, Fernandão lançou Nino na ponta. O melhor em campo cruzou com perfeição para Artur fazer de cabeça. 3x0.

 

Rogério continuou dando trabalho ao lateral esquerdo do Londrina, sempre com as chegadas de Nino. Cruzamentos perigosos que poderiam ter dilatado o placar.

 

Moisés, que não foi tanto no apoio, ainda acertou uma linda cobrança de falta, que acertou o travessão. Na cobrança do escanteio realizada por Artur, Fernandão testou forte e fechou o caixão. 4x0. 

 

Excelente resultado, para quase 18mil pessoas, e classificação bem encaminhada para as oitavas de final da Copa do Brasil.

 

Anderson - Mero espectador. 

Nino - Um monstro. O melhor em campo disparado. Mereceu todos os aplausos possíveis. Espero que a torcida o respeite, pois é um profissional extremamente dedicado, sem se omitir jamais.

Ernando - Não comprometeu.

LF - Seguro nos cortes. Sem chutão, fez o simples.

Moisés - Foi muito bem defensivamente mas pecou no ataque. 

Elton - O ponto de equilíbrio do meio campo. A bola de segurança dos zagueiros, o passe que iniciava as jogadas. Boa partida.

Gregore - Absoluto. Marca e ataca como poucos. Fundamental na pressão para recuperar a bola, mostrando ser um jogador acima da média no Brasil. Imprescindível ao time.

Ramires - Fez uma partida tática interessante, com apoio a Nino no 1. tempo e no 2. tempo sendo mais centralizado, distribuindo o jogo. Será muito importante para a equipe. Fez uma partida melhor do que as que vinha fazendo.

Artur - A melhor partida do anão tricolor em 2019. Sem prender a bola, jogando de forma coletiva, foi importantíssimo na construção das jogadas. Ainda foi premiado com um belo gol de cabeça, como se fosse centroavante.

Gilberto - Sem jogar de pivô, teve um bom desempenho na primeira parte, com Arthur Caíque ao seu lado. Participou de forma direta dos gols marcados na 1. etapa, além da entrega.

Arthur Caíque - Uma partida muito boa, mais participativa. Movimentação interessante, sempre fechando, entrando nas costas dos zagueiros. Belo gol que abriu a goleada.

Flávio - Entrou e manteve a forma do meio campo jogar.

Rogério - Foi muito bem atuando pelo lado direito. Criou desequilibrios na defesa adversária, com dribles, passes e movimentação. Será útil. Que não inventem ele na esquerda. 

Fernandão - Entrou e fez movimentações interessantes. Participou diretamente do 3. e 4. gols, mostrando que será muito útil no Brasileiro.

Roger Machado - Mostrou virtudes que dão esperança ao torcedor. Mudanças antes dos 20 minutos, alteração do esquema tático, marcação alta, recuperação da bola ainda no campo ofensivo e movimentação dos homens de frente. Que a Semana Santa seja o início da mudança Tricolor em 2019.

Outras colunas
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.