é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 10 de outubro de 2017 às 10h47

"Sem retranca": Carpegiani explica como quer ver o Bahia jogar

Treinador garante que seu time não jogará em contra-golpes, mas sim buscando se impor perante ao adversário

Victor de Freitas

2017-10-10-13-31_capacarpegianicoletiva
Fonte: Marcelo Malaquias/Divulgação/ECBahia

Nesta quinta-feira (12), o Bahia vai estrear sob o comando do novo treinador. Paulo Cézar Carpegiani desembarcou no Fazendão na semana passada e já "revolucionou" a maneira de jogar da equipe tricolor. Mesmo em poucos dias, alterou o esquema tático e já promoveu mudanças no time titular.

Atualmente, a maioria dos times da Série A adotam posturas defensivas e jogam no contra-ataque. Para Carpegiani, o estilo de jogo "retranqueiro" não te empolga, mas sim um futebol de imposição dentro do campo do adversário.

“Penso que o futebol é uma imposição de uma maneira de jogar sobre a outra e essa imposição requer toda uma parte teórica e prática, para que sua equipe consiga se impor sobre o adversário. Muitas vezes por mais qualidade que o adversário tenha ele nos impõe o ritmo e você pode ganhar no contra-ataque. Não gosto disso. Prefiro tentar impor o jogo. Mas tenho que verificar, pois estou chegando agora. Vamos tentar impor com opções e alternativas. Não podemos nunca abrir mão da possibilidade de ganhar o jogo. Não gosto de ouvir aquele termo ‘jogar por uma bola’ ou ‘fechar a casinha’. Não sei fazer isso. Gosto de equipes que tentam se impor. Que tente jogar futebol, com as opções, com as alternativas e com as capacidades técnicas, sempre tentar ganhar o jogo. Essa é nossa proposta que vamos tentar fazer lá contra o Palmeiras”, comentou o técnico.

Apesar de poucos dias de treinamento e com desfalques para a estreia, o técnico diz estar satisfeito com começo de trabalho no Tricolor.

“No futebol, quando você tem cinco ou seis dias eu acho um tempo muito bom. Quando você tem um conhecimento no transcurso do seu trabalho, quando você quer lapidar e aperfeiçoar o que você tem. Nós encontramos um pouco de dificuldade. Até mesmo pelas dificuldades que nós temos de muitos jogadores que não podem atuar, ficamos um pouco restritos”, disse.

Carpegiani também contou sobre o que espera do adversário de quinta-feira.

"É uma equipe difícil de se jogar contra porque tenta marcar pressão, tenta afogar o adversário, e nós temos que sair disso. Se nós não conseguimos jogar, por que eles vão tentar jogar? Parto desse princípio. A diferença do jogo fora ou não é a torcida, é a motivação do adversário. Nós também temos que ter igualdade nisso. Partindo disso, nós temos que nos impor, ter personalidade para jogar, administrar a bola quando tem que ser administrada, ter velocidade, enfim. Dentro dessa complexidade toda, dentro dessas exigências todas, nós vamos ter progresso. E a gente espera que nesse jogo a gente já possa, e temos a obrigação de apresentar alguma coisa para buscar o resultado, que é o que nos interessa", analisou.

A primeira chance para ver o Bahia com Carpegiani será nesta quinta (12), contra o Palmeiras, em São Paulo.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.