é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Brasileiro

Publicada em 08 de dezembro de 2016 às 11h15

Marcelo Sant'Ana valoriza trabalho de Guto Ferreira na Série B

"Foi contratado para subir e subiu", destaca o presidente

Victor de Freitas

2016-11-28-20-41_CapaGuto22
Fonte: Felipe Oliveira/Divulgação/ECBahia

O Bahia conseguiu conquistar seu principal objetivo da temporada 2016: a classificação para voltar à disputar a primeira divisão do futebol brasileiro. Para o presidente tricolor, Marcelo Sant'Ana, uma parcela de contribuição grande tem de ser dada ao técnico Guto Ferreira.

Em entrevista ao Programa do Esquadrão, da Rádio Sociedade, o presidente tricolor elogiou o trabalho realizado pelo técnico desde sua chegada ao Esquadrão - no momento em que o time vivia sua pior fase dentro da Série B.

"Minha memória pode até falhar, mas o Guto tem 13 triunfos, seis empates e sete derrotas (na verdade, foram seis). Chegou com objetivo claro e definido, e atingiu o objetivo. Foi contratado para subir e subiu. Queríamos resultado melhor fora de casa, mas dentro de casa quando o torcedor viu o Bahia ganhar tanto? Se impôs dentro de casa em todas as competições. Fomos muito bem dentro de casa. Se não foi tão bem fora de casa, temos que corrigir para o próximo ano. Todas as pessoas são passíveis de críticas. Não podemos nos acomodar, aceitar as fragilidades, buscar sempre corrigir, ver o que as pessoas estão falando. Pra melhorar, evoluir. Acredito que o Bahia pode, se os resultados vierem, entrar em período de maior estabilidade. O Guto é bastante transparente", comentou o presidente.

Sant'Ana também relembrou o fato de Guto ter deixado a Chapecoense, no parte de cima da tabela do Brasileirão, para buscar "algo a mais" dirigindo o Bahia.

"Ele acreditou no Bahia. Podia ter ficado na Chapecoense, na zona de conforto. Ele acreditou que o Bahia poderia dar mais visibilidade para a carreira e maiores condições que a Chapecoense naquele período, respeitando a dor da Chapecoense, que o Bahia poderia leva-lo a um patamar diferente. O primeiro objetivo era o acesso, ele cumpriu. Remontou o elenco durante a competição. Acho que temos que valorizar o mérito das pessoas. Muitas vezes a gente cobra e aponta as deficiências, mas não abraça quem faz um trabalho legal", concluiu.

Guto Ferreira chegou ao Bahia na 13ª rodada, após o time ter sofrido quatro derrotas consecutivas na Série B. Depois de sua chegada, o time perdeu apenas mais seis vezes e, após reforços que chegaram para o time titular, o time engrenou rumo ao acesso. Por ordem de contrato, o treinador teve seu vínculo prorrogado até o final de 2017.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.