é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 10 de outubro de 2018 às 17h05

Feliz por titularidade, Nilton cita necessidade de bater o Paraná

"Contra o Paraná, tem que fazer o dever de casa. É o fundamental", brada o volante

Victor de Freitas

2018-10-10-16-53_capanilton16
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

Após um primeiro semestre cercado de desconfiança e com poucos jogos sob o comando de Guto Ferreira, o experiente volante Nilton viu jogadores ganharem chances, inclusive passando a sua frente no elenco. Mas, com trabalhos e disposição nos treinamentos, o jogador passou a ter mais oportunidades com Enderson Moreira. Hoje, é considerado como titular do meio-campo.

Titular em três dos últimos quatro jogos, Nilton foi o capitão do Bahia nas partidas contra Botafogo e Grêmio, se destacando pela liderança exercida em campo e pela qualidade de suas atuações, inclusive dando uma assistência.

Em entrevista coletiva no Fazendão, o meio-campista de 31 anos celebra a sua melhor fase desde que chegou ao Esquadrão de Aço.

"Todo mundo acabou vendo o quanto eu estava trabalhando, me dedicando no clube e fora. As coisas não são por acaso. Tem que trabalhar muito, porque cada momento de trabalho, aquilo pode fazer diferença. Enderson deixou claro que ia me utilizar em algumas oportunidades, em alguns momentos durante as partidas. Eu estava esperando a oportunidade. Chegou, e eu consegui exercer da maneira que ele estava pedindo, ajudando e apresentando aos poucos uma evolução. Até os torcedores esperavam que eu chegasse apresentando um futebol digno dos grandes clubes por onde passei. Reconheço que minha chegada não foi da forma que eu esperava. Mas hoje eu posso dizer que o Nilton, nessas duas partidas, o futebol que eu tenho para apresentar em cada partida, que a equipe precisa da minha liderança. Espero que venha com vitórias também", falou o jogador.

Feliz por finalmente conseguir emplacar uma sequência de jogos pelo Tricolor, Nilton possui um sentimento contrário em relação aos resultados. Em meio a uma série de cinco jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro - a última vez que venceu foi no 2x0 sobre o Sport - o jogador destaca a obrigação de sair com o triunfo diante do Paraná, dentro de casa.

"A gente tem que estar sempre pontuando. Campeonato muito difícil. Tem que pontuar em casa, fora, seja um ou três (pontos). Pelo momento na tabela, é uma situação desconfortável, nos deixa com uma luz acesa. Mas faltam rodadas, tem outras equipes em situação difícil. Sabemos que tivemos que mudar nosso comportamento para buscar essa pontuação importante para dar tranquilidade. Contra o Paraná, tem que fazer o dever de casa. É o fundamental. Temos que estar nessa intenção de buscar, apresentar um bom futebol para nos afastarmos dessa posição desconfortável", projetou.

O que fazer para voltar a vencer?

"É uma cobrança que fazemos diariamente, até pelo que temos apresentado, pela dedicação nos treinamentos. Poxa, falar que não estamos trabalhando, tentando aperfeiçoar... É até meio desleal dizer isso, porque a rapaziada deixa em campo até a última gota de suor. Nos jogos, estamos conseguindo apresentar, fazer o que o professor pede, mas em algum momento a bola pune, não quer entrar de jeito nenhum. A gente fica meio impaciente, fazendo tudo da melhor maneira possível, e a bola não entra. Temos que ter tranquilidade. Eu converso com o pessoal do meio, do ataque, para poder ter tranquilidade. Às vezes a gente diz que a bola não entra por azar. O futebol te pune, mas às vezes é um detalhe. A gente tem que saber qual é esse detalhe que está sendo crucial para nossa equipe, para poder resultar em gols, para tranquilizar nossa equipe, porque o esforço que nossa equipe faz, chega o momento que, quando a bola não entra, você fica nervoso, porque você quer fazer o gol de qualquer maneira. A gente está tentando manter a tranquilidade, essa calma, até o final da partida, para não jogar esse esforço todo por água abaixo".

Nilton tem 13 partidas disputadas pelo Bahia em 2018. Como titular, ele entrou em campo nove vezes - sendo que seis foram sob o comando de Enderson Moreira.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.