é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Coluna

Djalma Gomes
Publicada em 04/01/2017 às 11h01

Esperando pela vez do futebol

Preocupante o comentário do treinador tricolor, Guto Ferreira, quando deixou transparecer uma certa decepção com a formação do elenco para 2017 e a viagem à Flórida-EUA. Também acho que estão demorando demais para contratar.  Que não é fácil a gente entende, mas não existe o bendito do planejamento? 

-- O Bahia vem sendo repetitivo em falhas e erros em seus planejamentos ao longo dos anos de forma sistemática. É preciso mudar o sistema cultural de se administrar o clube. Mudam as pessoas, mas se não muda a cultura de nada adiantará mudar pessoas.

Tudo bem, estão tentando contratar. Mas planejar desde meados do ano passado era preciso porque o plano A era a Primeira Divisão. Ou será que não havia confiança? Os tais pré contratos é um meio de garantia no futebol e deveria ter sido isso um dos elementos decisivo para começar a busca desde o segundo semestre do ano passado.

As coisas estão de tal forma embaralhadas que demitiram o Diretor de futebol em pleno início de pré temporada... por que não antes? Ney Pandolfo não parecia mesmo senhor de nenhuma situação no clube, pois, costumeiramente os fatos pertinentes ao futebol eram divulgados pelo vice presidente, ou, pelo próprio presidente do clube -- ainda é assim.

São eles, os mandatários maiores, que aparecem em rádios, jornais, sites e televisões. Dificilmente o departamento competente em futebol se manifesta. Quando contrataram Pandolfo, que havia sido demitido do Sport, cá pensei; servirá para o Bahia? O tempo foi passando e a nulidade de Ney foi se acentuando e dissipando minhas dúvidas. 

Cheguei a questionar aqui a autonomia do Diretor de Futebol porque os fatos apontavam que ele era uma peça decorativa na composição da diretoria que não mandava no seu departamento. Compraram o carvão molhado e não providenciaram o abano.

Tá se tornando uma marca no Bahia a aparente falta de autonomia do departamento de futebol, o que é péssimo, se verificado. Espero que mude a partir de então para o bem do clube e sucesso geral.

Minha dúvida é se o Bahia está ou não se profissionalizado de fato, apesar de achar que o Presidente vem organizando o clube. Porém, no tocante ao futebol é que ainda precisa se fazer muito diferente do que aí está. Tem de dar uma guinada!

Marcelo Sant'Anna -- será que é assim mesmo no registro de nascimento? -- poderá até ser reeleito se for analisado pelo aspecto administrativo empresarial. Mas até aqui, jamais pelo "A vez do futebol". Colocar o Bahia na Primeira Divisão foi mais mérito da sorte que do Presidente e seu staff

Mas 2017 está aí, inteiro e virgem, desafiando a capacidade do Presidente tricolor em fazer do Bahia um clube capaz de realmente brigar por uma vaga na Libertadores. Isto já faria dele um vencedor. Mas para tal necessita formar um time digno das tradições do clube e dessa torcida apaixonada ao ponto da irracionalidade de fazer festa receptiva no aeroporto por uma classificação "doada" pelo Náutico Capibaribe. 

Isto tem de ser dito para que a diretoria tricolor use de forma inteligente a marca em pró da grandeza do Esporte Clube Bahia e faça um belo time de futebol, pois, não é compreensível que a maior torcida do Norte e Nordeste -- ratificada em última pesquisa -- não mereça algo superior ao que a ela vem sendo oferecido desde o título de 1988, sacramentado em 1989.

 

Outras colunas
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.